Os Jogos Olimpicos na Grécia

No princípio do século VI, os festivais olímpicos já atraiam concorrentes de distantes lugares gregos e das colónias, e, embora esses festivais mantivessem a primazia, três outros festivais se lhe juntaram: os píticos, que como os olímpicos,  tinham lugar de quatro em quatro anos, e os nemeus e ístmicos, que se faziam de dois em dois anos
Bookmark and Share

O tempo escolhido era o Verão, o mais conveniente para todos, com excepção talvez dos concorrentes (...).

Os Jogos Olímpicos podem ser considerados típicos. Os concorrentes tinham de ser cidadãos gregos e, desde data muito remota, competiam desnudados. As provas consistiam na corrida de um estádio (cerca de 200 m.), dois estádios, dois estádios com as armaduras postas, corrida de fundo, boxe, luta, luta livre e o pentatlo (que consistia em corrida pedestre, salto em comprimento, lançamento de dardo, lançamento de disco e luta). Para todos estes números com excepção das corridas com armadura, havia também competições entre rapazes, e havia ainda várias modalidades de corridas de cavalos e de carros de combate, Existiam igualmente competições musicais. As inscrições, feitas individualmente, eram limitadas, parece, não pelos padrões oficiais das provas, mas pela despesa que implicavam e pelo receio do ridículo. Os prémios em Olímpia eram constituídos por coroas de folhas de oliveira brava, mas, nalguns festins inferiores, tinham mais valor: nos Jogos Pan-Atenaicos de Atenas os vencedores recebiam vasos com óleos finos.

(...) O custo dos treinos e o da viagem deviam ser elevados, de forma que o concorrente tinha de ser rico ou ter amigos ricos que o auxiliassem; mas, se ganhasse a sua prova, ficava a gozar de grande prestígio na sua cidade, e, em Atenas, a partir do começo do século VI - conclui-se de Platão - podia dispor de refeições grátis no município toda a vida. Para o político ambicioso que não fosse atleta havia a corrida das quadrigas, que podiam ser conduzidas por quadrigários profissionais (...) No seu conjunto os jogos constituíam um exclusivo da aristocracia (...).

Os grandes jogos arrastavam não só os concorrentes de todas as terras gregas mas também multidões de espectadores, vendedores ambulantes e, até no Período Clássico propagandistas que desejavam fazer publicidade das suas ideias ou de si próprios. A maior parte dos visitantes tinha de dormir ao ar livre. Seria ingénuo supor que tais competições, entre participantes de diferentes estados, contribuíssem muito para a harmonia pan-helénica, mas nada nos diz que houvesse distúrbios no estádio; além disso, as tréguas olímpicas (...) eram, normalmente respeitadas.

ROBER T M. COOK, Os Gregos até Alexandre