Paleolitico Superior

As grandes transformações do Paleolítico Superior
Economicamente, as sociedades do paleolítico superior dependiam para a sua sobrevivência, da caça, da pesca, e da actividade recolectora. Seus métodos e equipamento, porém, tinham sofrido uma transformação revolucionária. Graças à experiência colectiva das gerações anteriores, tinham aprendido a aproveitar-se das condições naturais e a preparar instrumentos novos e engenhosos​
Bookmark and Share
As grandes transformações do Paleolítico Superior
Economicamente, as sociedades do paleolítico superior dependiam para a sua sobrevivência, da caça, da pesca, e da actividade recolectora. Seus métodos e equipamento, porém, tinham sofrido uma transformação revolucionária. Graças à experiência colectiva das gerações anteriores, tinham aprendido a aproveitar-se das condições naturais e a preparar instrumentos novos e engenhosos. As várias sociedades caçadoras que ocupavam a Europa tinham ainda de enfrentar os rigores de um clima subártico, pois um grande lençol de gelo cobria as planícies do norte embora as geleiras das montanhas já tivessem recuado, se bem que por pouco tempo. Mas preparados para enfrentar essas desvantagens, penetram num território de estepes e tundras, onde grandes manadas de mamutes, renas, bisontes, bois e cavalos selvagens proporcionavam uma presa fácil para as caçadas organizadas (...). A protecção artificial contra o frio era dada pelas tendas, provavelmente de peles, ou mesmo por "casas", cavadas no solo macio e cobertas com peles e palhas à semelhança das habitações dos caçadores árticos de hoje. Sendo escassa a madeira, os caçadores queimavam ossos para se aquecerem os montes de ossos substituem por vezes as pilhas de lenha — e construíam fogões com saídas para a fumaça. Faziam roupas de peles pois possuiam raspadoras para prepará-las e agulhas para cozê-las (...) Instrumentos especializados eram necessários para o fabrico de tal equipamento e para a satisfação das necessidades de alojamento, vestuário e adorno. Os homens já não se contentavam em improvisar ferramentas para enfrentar as necessidades imediatas, e tiveram a ideia de inventar instrumentos para fabricar instrumentos. Além da pedra e da madeira, tinham firmado seu domínio sobre outros materiais, particularmente o osso e o marfim. Para afiá-los empregaram um novo processo, o do polimento, cuja aplicação à pedra serviu de critério para os arqueólogos de outrora distinguirem a época neolítica. Além disso, os chifres, ossos e até pedras chatas eram por vezes perfurados com orifícios circulares. A perfuração, quando não executada por instrumento próprio, demanda a aplicação de um movimento rotativo, que pode ter preparado o caminho para invenções importantes como a roda. GORDON CHILD, O que aconteceu na história.